quinta-feira, 7 de julho de 2011

OUVIDOS SÁBIOS!


“Meus amados irmãos, tenham isto em mente: Sejam prontos para ouvir, tardios para falar e tardios para irar-se.” – Tg. 1. 19 NVI
“Se você é de fato humilde...tem de saber ouvir...” – (- O eremita das “Crônicas de Nárnia – O Cavalo e Seu Menino”- de C. S. Lewis)


Esposa de pastor você já orou por seus ouvidos hoje?
Seus ouvidos são disciplinados?

Com algumas lutas tenho aprendido que o saber ouvir é importante. Ouvir requer humildade e disciplina.
Ouvir nos é recomendado na Palavra de Deus. Ouvir com sabedoria é relevante. Não é fácil. Sempre insistimos em falar primeiro e demorarmo-nos em ouvir. O contrário daquilo que nos ensina a Bíblia é o que fazemos e sofremos com essa atitude errada.
Há um momento em que sermos somente ouvintes é errado, sim, quando ouvimos a Palavra e pararmos aí. Tiago nos diz que seremos felizes naquilo que fizermos quando praticarmos o que ouvimos da Palavra do Senhor. Nesse caso, só ouvir não adianta.
Mas em nossos relacionamentos, quando ouvimos notícias boas, palavras amigas e consoladoras, é muito bom. Ouvir uma repreensão, uma crítica construtiva e uma exortação quando feitas com o coração contrito e sábio em amor, nos faz o bem e não o mal, (tanto o que fala quanto o que ouve). Mas,  o que fazermos quando ouvimos algo que nos ofende, ataca, irrita? E quando ouvimos mentiras sobre nós ou sobre outros? Ah, Senhor! O coração revolta e os pensamentos vêm como redemoinhos prontos a saírem derrubando tudo. Os lábios logo querem propalar o que vai dentro do coração. Procurando a defesa acabamos por aumentar a tristeza e atacamos de todos os lados.
Olhando para Jesus, nosso Mestre, O vemos silente diante de seus acusadores. Quieto ante os rogos da mulher Cananéia e nos intrigamos com o certo silêncio Dele quando soube da morte de Lázaro, seu amigo.
Jesus pronunciava, no momento certo, palavras sábias e edificantes, quando abria a Sua boca.  Seja diante dos fariseus, discípulos ou Pilatos.
Como precisamos aprender a ouvir! E isso é diferente de “engolirmos sapos”. O que Tiago ensina é prudência, sabedoria do Alto. É o meu desejo seguir este ensino e isto tem sido meu aprendizado a cada dia. Não entendo muitos acontecimentos ou certas atitudes e palavras de algumas pessoas. Tenho procurado ouvir além das palavras e atos. O aprendizado de ficar quieta, aguardando em oração o Conselho Sábio de meu Senhor e permanecer em silêncio, sem deixar a raiz de mágoas e tristezas brotarem só é conseguida pelo Espírito Santo. E isto é graça de Deus.
Voltando o olhar para Jesus vemos que Ele quebra o silêncio diante dos rogos da Mulher Cananéia dando a libertação e cura para sua filha. Ele rompe o silêncio depois de alguns dias para trazer vida a Lázaro. Jesus Cristo mostra Sua Glória e Autoridade a Pilatos com poucas palavras, sem arrogância ou violência, revelando  Sua superioridade ao Império Romano. Diante de Seus acusadores Ele ficou quieto e só responde com a verdade nada agradável ao Sumo Sacerdote, que tinha ouvidos mas não ouvia, pois não suportou e não aceitou que ele estava diante do Verdadeiro Filho de Deus.
Oh, que maravilha! Ouvir. Ouvir. Ouvir. Senhor, dê-nos ouvidos sábios como os de Jesus.
Devemos todos os dias orarmos assim.  Somente falarmos com o explícito desejo de trazermos cura, libertação, graça aos doentes da alma. Vida e ar de bálsamo aos que cheiram mal e fracos, espiritualmente. Revelarmos a Glória de Deus em nossas palavras e ações. Se assim não for só haverá barulho e nada mais porque tudo  deve ser feito pelo fruto do Espírito : o Amor!  Pois foi justamente isso, Amor, que levou Jesus Cristo a ficar em silêncio, em um momento de ofensas e rogos tão perturbadores, para depois, no instante correto romper o silêncio com Amor!
Em Jesus Cristo o Silencioso Altamente Falante, o Possuidor de Ouvidos Sábios e Entendedor da alma humana.
Ethel Martins
Textos  Mt. 15. 21 a 28; Jo. 11. 6, 7; Mc. 14. 53 a 65 e 15. 3 a 5, 16 a 20.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é importante. Agradeço a sua visita. volte sempre. Abraços da Ethel.