Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2018

O NEGATIVO POSITIVO

Muitas pessoas são negativas e por suas palavras quase sempre nos fazem desanimar. 
Elas têm o seu valor e muito aprendemos.
Essas pessoas não têm a visão correta, veem tudo nublado
e as dificuldades se avultam sobremaneira.
Por vezes, somos colocados ao lado de pessoas assim, e acabamos ficando em situações complicadas e de raiva mesmo, porque frustram nossas expectativas e entusiasmos.
Nossos olhares e ouvidos devem atentar Àquele que nos chamou e enviou.
Se procurarmos ver as coisas boas e pensarmos mais positivamente, isso nos dará ânimo. 
Não é positivismo somente, é confiança no Soberano Deus.
E se tivermos, mesmo assim, que caminhar ao lado de pessoas como o Brejeiro Paulama da "Cadeira de Prata", personagem de C. S. Lewis, nas Crônicas de Nárnia, não temeremos. Sempre haverá a quem recorrer, em especial ao SENHOR que escolhe e capacita-nos, então,  poderemos responder como o personagem Eustáquio: "Aslam não nos teria enviado se o risco fosse tão grande." 
Nesse caso…

AMIGO

"Amigo para que vieste?"
Para orar e sofrer comigo,  consolando meu  coração angustiado  e trazendo-me alegria nesse momento de intensa tristeza mortal?
"Amigo para que vieste?" Para ficar comigo, orar em vigília e enxugar o suor  gotificado em sangue?
"Amigo para que vieste?" Para que o tamanho pavor que sinto seja amenizado com o toque de suas mãos?
"Amigo para que vieste?" Para trazer-me paz como o bálsamo suavizante, pois estou em agonia profunda?
Não!
Amigo, vieste para cercar-me, prendendo-me na mais escura noite de sofrimento. Amigo, as lanternas e tochas que trazes são  para guiá-lo no perverso caminho até ao beijo em minha face amiga. Amigo, os porretes e espadas são para ferir-me com dor  inimaginável.
"Amigo para que vieste?"
O AMIGO Jesus Cristo, no momento tenebroso considera Judas Iscariotes como amigo!
De Ethel Martins Passagem de Mateus 26. 50                      ❤❤ 06/07/208

"Nem tudo em mim é festa."

“Prosseguindo, já posso ouvir a próxima pergunta de vocês: “Quer dizer que não posso confiar no que é bom (isto é, na lei?) O bem é tão perigoso quanto o mal?” É claro que não! O pecado apenas fez aquilo que o tornou famoso: usar o bem como cobertura para me induzir a fazer o que no final iria me destruir. Ao ocultar o bom mandamentos de Deus, o pecado provocou consequências negativas que jamais conseguiria causar por si só. Posso antecipar a resposta também: “ Sei que todos os mandamentos de Deus são espirituais, mas eu não sou. Essa não é também a sua experiência?. Sim. Estou cheio de mim mesmo – afinal, passei longo tempo na prisão do pecado. O que não entendo a meu respeito é que decido uma coisa e faço outra, sendo levado a fazer o que absolutamente desprezo. Então, se não consigo decidir o que é melhor para mim mesmo e fazê-lo, é óbvio que o mandamento de Deus é necessário. Entretanto, preciso de algo mais!. Pois, se conheço a lei e mesmo assim não posso guarda-la e se o poder do …